Vai cair o que no Enem de Química?

Vai cair o que no Enem de Química?

Estequiometria, termodinâmica, radioatividade ou meio ambiente? Qual o assunto mais cobrado na prova de química do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)? Quando a pergunta é essa, todo mundo tem uma teoria sobre o que deve cair. É que, nesta disciplina, existe um conjunto de conteúdos regularmente cobrados na prova. 

O que era teoria sobre a incidência de um assunto ou outro entre as questões está, agora, comprovado, pelo menos nos últimos 11 anos. Isso porque, para acabar com as dúvidas, o SAS Plataforma de Educação lançou a versão atualizada do seu Raio-X do Enem, com os assuntos mais abordados em cada prova entre 2009 e 2020.

Em química, as cinco áreas mais cobradas são Físico-Química (27,0%), Química Geral (26,8%), Química Orgânica (19,2%), Meio Ambiente (11,1%) e Energia (6,4%).

Conteúdos que, para Carlos Duplat, professor de química do Colégio Antônio Vieira, do Ifba e da rede estadual de educação, têm a ver com o grau de aplicabilidade no cotidiano. “Físico-Química é assim e ainda dialoga com outras áreas da disciplina como Química Geral e Orgânica. Na Físico-Química, tem termoquímica, que associa a combustíveis e energia; eletroquímica, que toca na questão das pilhas. Tudo pode ser facilmente ligado a situações do cotidiano que são caras ao Enem”, explica Duplat.

Processo associativo
E é a capacidade de fazer essa associação ao que se vê fora das salas de aula de Química que é citada pelos professores como necessária para ir bem na parte da disciplina no exame. Isso é destacado por Victor Benevides, professor de Química do Colégio Galileu em Itabuna e  da Fundação Bahiana de Engenharia.

"O Enem trabalha contextualizado dentro de uma situação que vem, muitas vezes, do cotidiano para testar a capacidade do aluno associá-lo à ciência. Por isso, é importante focar nestes temas que dominam grande parte da prova e melhorar ao máximo para estar apto a fazer essa associação em assuntos muito comuns como eletroquímica, termoquímica, evolução dos modelos atômicos, ligações químicas e outros", afirma Benevides, que dá dicas nas redes sociais sobre o tema. 

Duplat acrescenta que a associação também é importante entre as áreas da química na hora de realizar a prova. “Em todas as questões há um diálogo entre essas áreas. Físico-Química com Química Orgânica ou com Energia, as variações são diversas. Claro que em algumas questões isso acontece em maior escala e em outras menor. Até porque tem questão classificada como sendo de Físico-Química, mas não quer dizer que não tenha conhecimento de outros assuntos da disciplina que são importantes para chegar a uma resposta”, ressalta.

Além da capacidade associativa, para Luiz Amorim, professor de Química do Colégio Cândido Portinari, há outra ação importante para se fazer na prova: entender o conceito do que é pedido e não apenas as suas resoluções. “O aluno precisa saber interpretar e ser contextualizado porque isso é valorizado pelo Enem. Pra ir bem, tem que ser um aluno do século XXI, conectado ao mundo em que está interessado e dominar questões da sociedade que são trazidas para a prova. O aluno tem que saber conceito e não adequações prontas”, alerta.

Relação com a Química
Fazer a associação da disciplina com o dia a dia e entre os conteúdos pode não ser simples para quem não tem lidado bem com a química. Caso de Maria Eduarda Dourado, 17 anos, que pensa em fazer Bacharelado Interdisciplinar em Artes e quer melhorar na disciplina para não ver suas chances diminuírem. “Tenho dificuldade. Acho que o problema é mais por conta da dificuldade de acompanhar a velocidade com que é dado o conteúdo do que a matéria em si. É assim desde que começou a pandemia. Eu fechei provas de química em 2019 e não entendo quase nada em 2020 e 2021”, relata.

Veja temas mais cobrados

Físico-Química  - Termoquímica, equilíbrio químico, soluções e radioatividade

Química Orgânica - Reconhecimento de funções, reações orgânicas e temas associados a petróleo

Química Geral - Estequiometria, a separação de misturas e o tema de polaridade e forças intermoleculares

Meio ambiente - Chuva ácida, destruição da camada de ozônio, aquecimento global, desenvolvimento sustentável e lixo

Energia - Combustão

Como se preparar?
Seja quem não tem dificuldade ou quem tem sofrido com a matéria, todos precisam de dicas de quem mais entende do assunto. Por isso, cada professor passou uma orientação para os alunos que precisam obter bons resultados com Química:

Selecionar os temas que devem ser estudados - Carlos Duplat

"Quando você vê a lista de conteúdos dentro desses cinco assuntos, você se assusta pela quantidade de coisas, o que deve ser evitado. O mais importante é selecionar, dentro desses conteúdos, os que realmente caem com muita frequência. No caso de Físico-Química, por exemplo, podemos destacar termoquímica, equilíbrio químico, soluções e radioatividade. Dentro de Química Orgânica, tem reconhecimento de funções, reações orgânicas e temas associados a petróleo. E por aí vai, cada assunto tem temas que são cobrados e os que não, é importante ficar atento a isso", indica.

Atenção com as questões mais fáceis - Luiz Amorim

"O grande segredo para o aluno ir bem no Enem é acertar as questões fáceis. Quando ele tá em uma questão muito difícil e que não entende, ele deve pular a questão. Isso porque essas questões que te tomam muito tempo faz isso com os seus concorrentes e é uma pergunta mais difícil. É preciso entender que existem pesos diferentes e o sistema observa isso. Se você acerta a difícil e erra a fácil, ele entende que você está chutando e isso te prejudica", alerta.

Exercícios e simulados - Victor Benevides

"O aluno tem que se testar fazendo muitos exercícios e simulados. Ele precisa fazer isso repetidamente, corrigir e analisar as suas dificuldades. Não há uma fórmula mágica para todos fazerem porque cada aluno tem sua individualidade e os temas que ele não entende bem. Para identificar isso, o melhor é fazer os simulados já que é através dele que se tem o ponto de partida para notar a necessidade de revisões teóricas em determinados assuntos", orienta.